Bebê morre após mãe ter atendimento negado em maternidade de Cabedelo


Em 23/04/2018

 



O trágico áudio de uma mãe clamando pela vida do próprio filho, que havia acabado de nascer, em casa, após o Hospital Municipal de Cabedelo, a Maternidade Padre Alfredo Barbosa, ter negado atendimento a ela, revela uma história de negligência e irresponsabilidade.  Horas antes do parto, que aconteceu na casa da mãe, Jussara Guimarães dos Santos, ela havia ido ao hospital em busca de atendimento.

 

De acordo com o relato da mãe, por volta das 23h da última sexta-feira (20), ela teria chegado ao hospital, mas teria sido mandada de volta para casa por que não teria dilatação suficiente para o parto. Ainda não estaria pronta.

 

No entanto, por volta das 5h do sábado (21), apenas algumas horas depois, Jussara teria tido o bebê em casa. O sofrimento já estava grande devido à rejeição do atendimento. No entanto, tudo começou a ficar pior quando o bebê não respirava.

 

No áudio é possível identificar o sofrimento da mãe, que fala da criança ficando roxa, até que não respira mais e morre.

 

O Conselho Regional de Medicina (CRM) vai abrir uma sindicância para fiscalizar o que aconteceu. "Ficamos sabendo dessa história por meio da imprensa. Seria bom que a família viesse até o CRM para relatar o que aconteceu. Nos ajudaria a entender este caso", destacou o chefe de fiscalização do Conselho Regional de Medicina, João Alberto.

 

A sindicância do CRM é um procedimento preliminar, que pode durar até 60 dias. "No caso de serem identificadas irregularidades, então nós abrimos um processo ético-profissional, que culmina com um julgamento do caso", explicou o médico, que ainda relatou que acontecem cerca de dois ou três julgamentos todos os meses.

 

O Hospital também se comprometeu a realizar uma sindicância. Na nota emitida para a imprensa, a instituição não cita os médicos responsáveis pelo atendimento que foi negado à parturiente.

 

A prefeitura de Cabedelo, por meio da Secretaria de Saúde (Sescab) também emitiu uma nota em que visa "prestar esclarecimentos sobre a notificação, amplamente divulgada pela imprensa, de ocorrência de óbito de paciente oriundo do município".

 

"A Sescab esclarece que a paciente em questão não passou, inicialmente, por nenhuma Unidade de Saúde, indo diretamente para o Hospital Municipal. Após os primeiros atendimentos e em virtude do agravamento do quadro de saúde, foi solicitado o encaminhamento para um Hospital de Alta Complexidade, no caso, o Hospital Universitário Lauro Wanderley, em João Pessoa."

 

Procurado, o secretário de Saúde de Cabedelo, Wagner Suassuna, estava em uma reunião externa e não pode falar com a reportagem.

 

FONTE: CLICK PB


Rede Primeiro Minuto
©2016 - Todos os direitos reservados