Rede Primeiro Minuto
Quinta, 27 de Janeiro de 2022
22°

Nuvens esparsas

Campina Grande - PB

Brasil SAÚDE

“Flurona”: casos de coinfecção por Covid-19 e gripe são registrados em seis estados

Registros de infecção simultânea foram feitos no Ceará, Rio Grande do Norte, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia; secretaria estadual de Saúde do Rio não confirma casos identificados pela capital fluminense.

04/01/2022 às 19h42 Atualizada em 05/01/2022 às 18h31
Por: Da Redação
Compartilhe:
Foto: Walterson Rosa/MS
Foto: Walterson Rosa/MS

De acordo com um levantamento da CNN, casos de coinfecção por Covid-19 e influenza já foram confirmados em cinco estados brasileiros. Os registros de infecção simultânea aconteceram no Ceará, Rio Grande do Norte, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia.

Esse fenômeno de contaminação por Covid-19 e gripe simultaneamente em uma mesma pessoa vem sendo chamado de “flurona”, junção das palavras “flu” (gripe, em inglês) e “coronavírus”. O termo foi usado pela primeira vez após a confirmação de um caso em Israel.

No Brasil, além da confirmação de “flurona” em cinco estados, Santa Catarina informou que investiga possíveis casos de coinfecção, mas até o momento não há nenhum registro confirmado.

A Secretaria de Saúde do Ceará afirmou que desde o início do aumento dos casos de gripe, três pacientes foram diagnosticados com coinfecção simultânea por Covid-19 e influenza. Ainda de acordo com a pasta, os casos de “flurona” são de um homem de 52 anos que desenvolveu quadro leve e duas crianças de um ano de idade, que foram hospitalizadas em unidades particulares de saúde e já receberam alta.

No Rio Grande do Norte, as amostras investigadas pelo Laboratório Central (Lacen) detectaram o primeiro caso de coinfecção entre influenza e Covid-19. A secretaria estadual de Saúde do estado, no entanto, não informou sobre o estado do paciente.

O estado do Mato Grosso do Sul informou à CNN que há seis casos de “flurona” no estado. Todas as amostras foram analisadas pelo Lacen e encaminhadas ao Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, onde foram confirmados os casos de coinfecção. No município de Corumbá, quatro pacientes do sexo masculino foram diagnosticados com “flurona”, sendo um de 55 anos de idade, dois de 9 anos e um bebê de 5 meses. Outros dois casos foram registrados em Dourados e uma mulher de 19 anos testou positivo para coinfecção na capital Campo Grande. A secretaria de Saúde do estado afirmou ainda que nenhum dos pacientes com “flurona” estavam vacinados contra influenza.

Cuidados básicos ajudam a prevenir a Covid-19 e a gripe:

A cidade do Rio de Janeiro confirmou que a capital fluminense possui dois casos confirmados de “flurona”. Além disso, a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro informou que investiga outros 17 casos de contaminação simultânea por Covid-19 e influenza. No entanto, a secretaria estadual de Saúde do Rio de Janeiro não confirmou os casos de “flurona” identificados pela capital fluminense. A secretaria estadual afirma que “vai acompanhar qualquer ocorrência que venha a ser notificada no estado”.

Já em São Paulo, a Secretaria de Estado da Saúde informou que foram registrados 110 casos de “flurona”. Segundo a pasta, os dados são de 2021 e extraídos do Sistema de Vigilância Epidemiológica da Gripe (Sivep-Gripe), e foram identificados em pacientes hospitalizados por meio de teste rápido de antígeno e/ou RT-PCR.

Na Bahia, o Laboratório Central de Saúde da Pública da Bahia conformou oito casos de infecção simultânea de influenza e Covid-19. As notificações de “flurona” ocorreram em Salvador, Feira de Santana e Camaçari. O governo baiano afirma ainda que são cinco pacientes do sexo masculino e três do sexo feminino, com idades entre 13 e 91 anos e que nenhum óbito foi registrado em decorrência das coinfecções.

Especialistas dizem que os casos de infecção simultânea entre Covid-19 e influenza já eram esperados e que não necessariamente são mais graves do que os casos em que há infecção por apenas um dos vírus.

Em nota, o Ministério da Saúde esclarece que “os dados de influenza e outros vírus respiratórios são monitorados pela pasta via vigilância sentinela, onde, por amostragem semanal, são feitos diagnóstico para influenza e alguns outros vírus respiratórios, além da vigilância da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e Covid-19”.

Fonte: CNN Brasil

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias