Libertadores: Presidente da Fifa admite que queria que River e Boca jogassem após pedradas: 'Quatro idiotas não podem parar o jogo'


Em 04/12/2018

 



O presidente da Fifa, Gianni Infantino, confirmou em entrevista ao jornal espanhol Marca que queria a realização da partida entre River Plate e Boca Juniors no Monumental Núñez, apesar das pedradas no ônibus do time xeneize.

 

“Sempre é melhor jogar a partida. Há 60 mil pessoas no estádio, todo um país e muita gente em todo o mundo esperando a partida. E quatro idiotas jogando pedras não devem frear tudo isso”, afirmou o dirigente, que estava em Buenos Aires no dia 24 de novembro, data do segundo jogo da decisão da Copa Libertadores.

 

Após o comentário de que tinham mais de quatro pessoas atirando objetos contra o veículo da delegação do Boca, Infantino disse: “Sim, quatro, 40, 400 ou 4 mil idiotas, de qualquer maneira. Não podem parar tudo. Se pode se jogar, tentamos jogar. Creio que essa foi a atitude correta de todos os que estávamos ali. Quando já não foi possível, porque havia jogadores que de verdade não estavam bem, se adia. E quando não é possível, precisa-se de calma, tranquilidade, baixar a temperatura”.

 

De início, além de Infantino, os presidentes de River Plate, do Boca Juniors e Conmebol, Rodolfo D’Onofrio, Daniel Angelici e Alejandro Domínguez, respectivamente, queriam a realização da partida, que foi adiada diferentes vezes, até ser remarcada para domingo e, posteriormente, ficar para dia 9 de dezembro, no estádio Santiago Bernabéu, em Madrid.

 

FONTE: ESPN

FOTO: GETTY IMAGES


Rede Primeiro Minuto
©2019 - Todos os direitos reservados